Chamarrita

Sempre no compasso da chamarra
Canto com entusiasmo, faço festa, faço farra -
Levo na minha pouca bagagem
A saudade e a lembrança e junto uma guitarra.

Sempre vou seguindo a trote lento
Acompanhando o próprio vento, me segue a passarada -
Para alegrar este meu peito
Vou com calma e muito jeito conquistando a gauchada.

Na jornada desta minha vida
Carrego muita ferida de um peão apaixonado -
Choro minha mágoa de gaúcho
Sou simples sem muito luxo, honesto mas muito honrado.

Vou acumulando estas lembranças
Que trago como muita herança de uma luta sem vitória -
Para aquecer minhas façanhas
Tomo um bom gole de canha e a saudade vai embora.

Vidéo Incorrecte?