Ao som de uma caixa de música acordou João
Ao lado do berço um corpo caído, desilusão
A casa vazia e no ar um cheiro, a solidão
Pra lá da janela uma visão tão estranha
O que terá acontecido?

Como um pássaro que caiu do ninho e esvoaçou
João deu a medo alguns passos p'lo quarto e sem querer
Debruçou o corpo sobre o chão morno e adormeceu
Talvez pra dormir o seu último sono
E o que fica a dizer?

[refrão]
João, mais uma vítima nuclear numa casa no meio da cidade
Onde só se contavam histórias de mal e de bem
João, mais uma vítima nuclear numa casa no meio da cidade
Onde só se contavam histórias de realidade

Uma brisa estranha chegou de repente com sabor a fim
E uma noite fria caiu sobre os restos do auge do poder
Entre o tudo e o nada ficou uma sombra uma recordação
Talvez algum dia alguém venha a perguntar
O que terá acontecido?

Um manto de fumo cobriu a cidade em forma de adeus
Talvez pra apagar a última imagem guardada da terra
A tocar no meio do deserto plantado a caixinha ficou
Testemunha ingenua das glórias já findas
E das marcas da vida

[refrão]
João, mais uma vítima nuclear numa casa no meio da cidade
Onde só se contavam histórias de mal e de bem
João, mais uma vítima nuclear numa casa no meio da cidade
Onde só se contavam histórias de realidade
E tudo acabou!

Vidéo Incorrecte?